Saiba como funciona:

Consultorias buscam eliminar erros de comunicação, centralizando o mundo digital de seu negócio.

Você sabia que ideias inovadoras como Ifood, Uber, Mercado Livre e outros não nasceram da noite para o dia, elas tiveram um processo de concepção e validação muito bem estruturado?
Final de ano é a época perfeita para se planejar um projeto, e estamos preparados para resolver e solucionar os seus problemas.
A Orni oferece consultorias completas para todos os segmentos de negócios , ajudando a validar e multiplicar as suas ideias, sendo mentores do seu projeto.

Confira nossas principais consultorias:

Nossas consultorias são voltadas para o desenvolvimento de um negocio que está começando. Contudo sua empresa estará preparada para alcançar visibilidade e novos espaços. Assim o seu negocio ficara desenvolvido e organizado para terem um futuro brilhante.

Ajuda você a entender como viabilizar o lançamento da sua ideia no mercado de forma ágil. Desta forma, reduzindo riscos, diminuindo o investimento inicial e aumentando seu potencial de retorno.

Ajuda sua empresa a escalar ou melhorar processos, sejam eles administrativos, de produção ou planejamento, visando otimização de recursos e geração de lucro.

Ajuda a você e/ou sua empresa a potencializar resultados. Com a consultoria de negócios focada em marketing você poderá: objetivar aumento de vendas, alcance de marca, valor de mercado e mais!

Pensando em criar um SITE pra sua empresa?

Não importa se é grande ou pequeno o seu negócio, aqui você pode solicitar uma consultoria gratuita para seu empreendimento. Possuímos as melhores soluções web para o seu negócio, dessa forma você não precisa se preocupar com o seu site, temos profissionais experientes e bem capacitados que farão esse serviço completo para você.

A decisão certa hoje que irá gerar grandes resultados no futuro!

 

Quer saber mais?

Fale com um de nossos consultores! 

E-mail: [email protected]
Atendimento Presencial: Passo Fundo/RS, Porto Alegre/RS, Florianópolis/SC e Manaus/AM.

Você pode querer saber também:

Termos e tipos de e-commerce
Você sabe o que é o serviço de SEO?

Hoje existem alguns termos e tipos de e-commerce que podem confundir nossas mentes na hora de desenvolver um negócio. Antes de implementá-lo o ideal é planejá-lo muito bem e ter ideia de todos os passos e contatos necessários para não somente começar mas mantê-lo. O objetivo desse artigo é clarear um pouco melhor cada um desses termos para ajudá-lo na hora de escolher com qual tipo de e-commerce você quer trabalhar. Mas, antes de tudo:

Você sabe quando surgiu o próprio termo e-commerce?

O termo vem do inglês e, como muitos sabem ou podem ter imaginado, significa literalmente comércio eletrônico. No Brasil, em oposição às lojas físicas, também são chamados de lojas virtuais. Segundo os sites Doutor E-commerce e E-commerce Brasil os primeiros comércios eletrônicos surgiram em 1970, nos Estados Unidos, e eram comércios para transações financeiras. Tem-se registro que como loja virtual, somente em 1995, com o surgimento da Amazon, é que os e-commerces passaram a ter o estilo que hoje conhecemos. Muitas décadas depois dos primeiros tipos, logo que a internet surgiu no Brasil, tem-se registro do primeiro e-commerce brasileiro, em 1996, seguido em 1999 pela poderosa rede Submarino.

Quanto aos tipos de e-commerce:

Marca própria – nada mais é do que você ter uma plataforma para vender seus próprios produtos e/ou produtos que você tem armazenados em seu estoque. Nesse caso, você será responsável por todo o processo de venda, desde a captação de público interessado na sua loja virtual até o envio dos produtos.

Dropshipping – a diferença do dropshipping para a loja de marca própria, é que você não será responsável por armazenar e enviar os produtos. Servirá de um intermediário para oferecer produtos de diferentes fornecedores.

Marketplace – É um tipo misto dos dois primeiros. Além de oferecer produtos estocados em sua empresa, também oferecerá produtos de outras empresas em seus estoques. Com certeza você já viu, leu e/ou ouviu um “vendido e entregue por” + nome de outra loja, que não é a que está comprando. Pois, então, esse é o Marketplace e está cada vez mais popular, por justamente facilitar a venda de marcas menores e ao mesmo tempo poder rentabilizar um pouco sobre essas vendas, sem precisar investir em logísticas de estoque e transporte. Podendo, claro, ainda assim, dar maiores vantagens aos seus próprios produtos, como uma entrega mais rápida e/ou mais barata.

Marketplace de aluguel de Produtos – funciona como um hub onde as empresas podem oferecer especificamente o aluguel de produtos. Conhecendo um pouco mais, você verá que é um marketplace de nicho, pois cada um volta-se a segmentos específicos, como vestidos de festas e máquinas de construção civil.

Viu como não é tão difícil de compreender esse conceitos?
E agora que você sabe um pouco mais, pode nos chamar no Whats por aqui e solicitar a sua consultoria de negócios (veja mais em Consultoria de Negócios) ou, se está mais seguro, pedir diretamente um orçamento para a sua plataforma.

 

Você também pode gostar de saber sobre:

Você sabe o que é o serviço de SEO?

Web Core Vitals: A métrica de SEO do Google para 2021

Saiba como funcionará o Pix em sua empresa

 

A postagem de hoje é inspirada nos nossos leads, que seguidamente nos pedem pelo serviço de SEO mas de múltiplas formas diferentes:

Pois, bem, acima constam algumas referências. O SEO, Search Engine Optimization, nada mais é do que a otimização de códigos e algumas outras informações do site para facilitar a leitura pelos motores de busca, principalmente os do Google. Dizemos que, principalmente os do Google, pois essa plataforma é o principal meio de pesquisas utilizado atualmente (e há muitos anos). E, diferentemente de outras, o Google ainda “premia” quem se preocupa em ser encontrado por ele. Portanto, ser vista na pesquisa do Google não é somente uma preocupação da sua empresa, também é uma preocupação dele. E por isso há uma premiação a quem segue suas boas práticas: um bom – ou excelente – ranqueamento na pesquisa.

O seu ranqueamento, ou seja, a sua posição a cada página da pesquisa, melhorará conforme seu site é trabalhado em certos aspectos. E ser o terceiro a aparecer na segunda página, por exemplo, ainda é melhor do que ser o quarto. Desta forma, a primeira página do Google é muito disputada. Pois, a maioria das pessoas que pesquisam no Google já não dão tanta importância para as páginas seguintes, isso porque quem aparece na primeira já é um resultado assertivo. Os primeiros já são uma boa amostra do que esse pesquisador precisa. E, por outro lado, informados e competitivos o suficiente para continuarem disputando por seu posicionamento.

E como usar o serviço de SEO para ser melhor ranqueado?

Um dos aspectos que o Google considera primariamente importante é em relação aos desempenhos por acesso web (navegador) e mobile (celular). Como usuários sabemos que um site que demora demais para abrir nos leva a desistir e pesquisar o que queremos em outro – possivelmente um concorrente. Também sabemos que hoje em dia usamos bastante nossos celulares para entretenimento e informação, porém inversamente, a maioria dos sites chegam com péssimo desempenho mobile. O que merece maior atenção. No entanto, também não quer dizer que a maioria do seu público-alvo acessa por mobile, então é importante conhecer seu público e suas personas para entender qual é o foco a ser dado no início do serviço.

E, uma das formas pelas quais os leads nos pedem pelo serviço de SEO, também é um dos aspectos a serem trabalhados: as palavras-chave. Alguns clientes dizem algo como: “se pesquiso o nome do site, apareço na primeira página, mas se pesquiso um produto ou serviço que ofereço, não apareço”. E é aí que as pessoas confundem a pesquisa direta (direct search), no primeiro caso, com a pesquisa orgânica (organic search), que se baseia nas palavras-chave pesquisadas no Google e que tem relação com o SEO. E muitas vezes confundem também os serviços e as ferramentas que o Google oferece de apoio, assunto para um próximo post. Retomando, essa parte minuciosa do trabalho, ajustando as palavras-chave voltadas ao seu produto ou serviço versus as mais pesquisadas no Google a cada período nos leva a outro tópico – e pergunta clássica:

Quanto tempo leva para ranquear?

Pois bem, o serviço de SEO é um trabalho que exige muita paciência a todos, principalmente a quem nunca fez um serviço de SEO em seu site. Com 6 meses é possível começar a ver as primeiras mudanças de ranqueamento, sendo o ideal aguardar pelo menos 12 meses, para mudanças mais consistentes. Porém, o que influencia no tempo é ter existido alguma preocupação no SEO durante o desenvolvimento do site e, se existiu, o quanto será necessário acrescentar ou atualizar dos diferentes aspectos de boas práticas indicadas pelo Google.

Mas a verdade é que o melhor mesmo é trabalhar o SEO de maneira contínua, pois o Google muda constantemente suas exigências. Inclusive, como vocês podem ler melhor aqui, já anunciaram suas novas métricas para 2021, às quais todos temos que estar atentos. Por isso tanto dizemos que serviço de SEO é um trabalho de médio a longo prazos. 

Não querendo me alongar demais, me encaminho ao fim. Como pudemos nos informar, o serviço de SEO é um trabalho muito importante e bastante detalhado. A longo prazo pode acabar sendo um investimento grande mas muito valioso se você quiser atrair visibilidade de qualidade ao seu espaço online e à sua marca. Sendo uma oportunidade de conversão de público.

Tem interesse ajustar o SEO de seu site? Quer entender mais sobre SEO?

Clique aqui e converse com a nossa equipe!

Você também pode gostar de saber sobre:

O Pix em Sua Empresa

Qual é a melhor estratégia para anunciar no Google

Web Core Vitals: A métrica de SEO do Google para 2021. Em toda atualização do Google, é normal que o site sofra uma perda de tráfego orgânico por mudar os parâmetros, alterando o ranqueamento.

A cada atualização do algoritmo, podemos dizer que o Google torna-se mais inteligente, forçando os profissionais que trabalham com SEO a se adaptarem continuamente para que seus sites continuem a receber trafego orgânico.

No fim de maio de 2020, foi anunciado as mudanças que serão aplicadas para o ano que vem (2021), permitindo que possamos iniciar os ajustes de SEO que entrarão em vigor no próximo ano.

 

Como o Google Funciona

O objetivo do Google é entregar aos seus usuários o que eles realmente buscam. O SEO acabaria por tornar-se invalido se você não oferecer ao usuário uma experiência positiva e agradável. Visando isso, no inicio do ano foi anunciado que a nova métrica se baseará também na experiência do  usuário com o site.

Como Funciona

Em maio, foi anunciado que uma das métricas a serem implantadas é a do Web Core Vitals. Que traz três métricas essenciais para ranquear bem. Esse conjunto complementa as métricas já utilizadas para analisar a pagina por completo, desde aspectos técnicos à experiência do usuário.

A Page Experience combinará as atuais recomendações do Google com o Core Web Vitals, que são métricas para mensurar a real experiência do usuário no site. O Core Web Vitals considera fatores como interações indesejadas na página, tempo de resposta do site e a dificuldade do usuário para encontrar a principal informação na página

Essas três metricas são Largest Contentful Paint (LCP), First Input Delay (FID) e Cumulative Layout Shift (CLS).

Largest Contentful Paint (LCP)

Essa métrica analisa o tempo de carregamento do maior conteúdo visível na pagina e sua sua análise baseia-se em quanto tempo levará para que tal conteúdo seja completamente carregado no site.

First Input Delay (FID)

O FID acompanha o tempo de resposta da página ao comando do usuário e interação. Um bom tempo é considerado até 100ms, acima de 300ms o site sofrerá penalidades.

Cumulative Layout Shift (CLS)

O CLS acompanha a estabilidade visual da sua página e se afeta negativamente na experiência do usuário. Atente à alterações de layout durante o carregamento ou elementos que são movidos de posição, pois você poderá ser penalizado.

Algumas das outras metricas que são interessantes de ficar ligado são:

  1. Combater a poluição visual
  2. Rich Snippets
  3. Foco nos Core Web Vitals
  4. Google Meu Negócio

 

Disponibilidade, velocidade, conveniência, segurança, ambiente aberto, multiplicidade casos de uso e fluxo de dados com informações agregadas – essas são as principais características do Pix. Com esse post resolvemos reunir o máximo de informações de uma forma resumida e o mais simplificada possível. A seguir, saiba mais como funcionará o Pix na rotina de sua empresa.

Mas, primeiramente, o que é e para que serve o Pix?

O Pix é um meio de pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central (Bacen) em fevereiro e que funcionará a partir de novembro. Ele servirá para transferências online e estará disponível 24h por dia, todos os dias – inclusive finais de semanas e feriados. Isto é, ao fazer uma transferência, o valor aparecerá instantaneamente na conta recebedora, sem passar por análise de intermediários.
Segundo o site do Bacen, seu principal objetivo é “aumentar a eficiência e a competitividade do mercado de pagamentos de varejo no Brasil“. Possivelmente, o Pix irá substituir o uso de boletos e de cartões de débito, facilitando o fluxo diário de transações financeiras em sua empresa. E, em alguns casos, barateando-as, principalmente as de baixo valor, visto que seu uso será gratuito a pessoas físicas e empreendedores individuais. Acredita-se, inclusive, que o Pix poderá transformar DOCs e TEDs obsoletos, visto que esses geram cobranças a todos.

Mulher com expressão - no rosto e nos braços - de dúvida. Segurando em uma mão um celular e em outra mão um cartão de crédito.

O Pix em sua empresa

Não tendo restrição de quem o usa, o sistema permitirá transações do consumidor a uma empresa, entre duas empresas ou mesmo entre duas pessoas físicas. A transação ocorrerá pela Rede do Sistema Nacional Financeiro, utilizando-se de autenticação digital para garantir segurança, e necessitará que os envolvidos estejam cadastrados previamente ao sistema, de forma a ter uma identificação individual. Conforme o site do Bacen, essa identificação poderá ser:
Em seu site, por exemplo, o cliente poderá escolher o Pix entre as formas de pagamento. Pelo próprio sistema do banco será possível gerar um QR Code. E aqui vemos uma vantagem para a empresa, que não precisará mexer no carrinho de compras de seu site para criar essa automação. Nessa situação, o QR Code gerado será dinâmico – isto é, ele criará um código novo a cada transação. Depois bastará apenas escanear e pagar diretamente pelo celular. Nesse momento, percebemos uma vantagem para o pagador, que não irá precisar digitar todos os dados do recebedor, como hoje fazemos. Outro exemplo é usar o Pix para pagamentos a fornecedores e terceirizados. Nessa outra situação o recebedor poderá mandar um QR Code estático, ao qual será mantido o mesmo código para transações contínuas. No futuro o Pix também aceitará que o pagador crie um QR Code enquanto o recebedor irá escolher os tipos de pagamentos instantâneos que irá aceitar.

Mulher sorrindo e segurando um tablet em uma mercearia. Do tablet saem da tela algumas imagens de produtos da mercearia.

No entanto, como empresa, fique alerta!

Apesar de uma ferramenta muito prática e ágil, você será cobrado quando o cliente fizer uma compra de produto ou serviço via Pix. Por vezes, as próprias instituições financeiras poderão gerar cobranças – e para os dos dois lados, empresa e cliente. Dessa forma, caberá analisar as condições de cada uma antes da contratação. E, somente se for preciso, mexer no seu site para trocar o gateway de pagamento do seu carrinho de compras. Para finalizar, ainda será publicada pelo Bacen a regulamentação para transações que incluem pessoas jurídicas, então vale ficarmos atentos aos próximos capítulos!

Quer conhecer mais os nossos serviços? Clique aqui.
Que falar diretamente com nossa equipe? Clique aqui para chamar no Whats


Você também pode gostar de saber sobre:

Qual a melhor estratégia para anunciar no Google?

Quer aumentar suas vendas?

Sabemos que para aumentar suas vendas é necessário:

Nossa primeira dica: se você já tem uma loja, indicamos transformá-la em uma loja virtual.

Desta forma, você não dependerá de um grande esforço do cliente – como ir até sua loja física ou viajar até sua cidade – para comprar. No entanto, alcançará clientes mais próximos. Alcançará amigos de amigos, uns desconhecidos a conhecer. E, por fim, alcançará quem você já conhece mas, no momento, não quer ou não pode sair de casa, e gostaria de estar próximo a você!

Porém, apenas ter uma loja virtual não garantirá a visibilidade da marca.

Você quer alcançar admiradores e compradores por todo o Brasil?

Nossa segunda dica: aumente a visibilidade da sua loja virtual e da sua marca pela web as divulgando! Seja na pesquisa orgânica do Google, com SEO, e/ou seja em redes sociais, com anúncios e impulsionamentos. Com essas e outras estratégias de marketing digital você poderá chamar maior atenção para a sua empresa e, a médio e longo prazos, também poderá ampliar suas vendas.

Quer aumentar suas vendas com dicas mais assertivas a suas necessidades?
Chame no nosso Whats: (51) 8906-5423 ou pelo site https://orni.com.br/

Você também pode gostar de saber sobre:

Qual a melhor estratégia para anunciar no Google?

Criar atributos e tags no WooCommerce

Você já pensou em ter o domínio do seu site “.com” e “.com.br“?
Algumas pessoas compram os direitos pelos dois domínios com a finalidade de aumentar as chances do site ser encontrado por possíveis clientes. Afinal, esses domínios são os mais procurados da web. Dessa maneira, o processo de redirecionamento é feito colocando o site em um domínio e direcionando o outro a ele; assim, quando alguém digitar seusite.com, ele poderá ser redirecionado ao seusite.com.br, endereço original. Bacana, né?

Da mesma forma que é importante você ter seu site nos dois domínios mais procurados, também é super válido associá-lo a um que lembre seu serviço ou produto. Recentemente, o Registro.br disponibilizou novas opções de domínios, entre eles o .coz.br, muito conveniente para quem trabalha na área gastronômica, e o .log.br, que relaciona a transportes e logísticas. Com eles seus novos clientes vão associar rápido seu site e os mais antigos não terão chances para erro. Quer conferir? Acesse o Registro.br.

E se você ainda não tem um site e no momento também não pode investir em um, pode ao menos assegurar o direito pelo seu futuro endereço. Registre em sua posse o nome de sua marca ao domínio desejado, antes que outro o faça. E, se puder, aproveite as novas opções de domínios, obtendo, desta forma, um domínio criativo associado ao seu negócio.

Quer ajuda para registrar seu domínio?
Chame no nosso Whats: (51) 8906-5423 ou pelo site https://orni.com.br/

Você também pode gostar de saber sobre:

Como funciona o suporte da Orni?
Adicionando categorias e sub-categorias de produtos ao menu

Neste post, você vai compreender melhor o que são as permissões do WordPress e suas utilidades, bem como a explicação detalhada de cada uma delas.

As permissões no WordPress servem para definir a função de cada usuário no seu site. É uma forma de organizar melhor seus usuários, mas também um forte mecanismo de segurança, pois ele define vários níveis de acesso. Isto é, quais ações são ou não permitidas para quem está ali. São elas: Administrador, Autor, Editor, Colaborador e Assinante.

Administrador:

O administrador é o usuário principal, que possui todos os privilégios da página. Ele deve ser dado ao responsável técnico, pois é uma função delicada e que se usada de forma equivocada, pode trazer grandes danos e até prejuízos para o seu site. São ações permitidas ao administrador:

Autor:

O autor possui permissões bastante restritas dentro do site. Sua função é basicamente a criação de conteúdo e nenhum privilégio a mais. Dessa forma, ele pode:

Editor:

O editor possui privilégios maiores do que o autor. Dessa forma, podemos dizer que, este usuário é responsável por toda a parte de conteúdo do site. Ele possui permissões para:

Colaborador:

O colaborador possui permissões muito limitadas no site. Antes de mais nada, seu nome já demonstra que é uma função mais voltada para o auxílio. Ele pode:

Assinante:

Por fim, o usuário que não possui nenhuma permissão, a não ser editar seu próprio perfil. A opção de assinante é útil quando você precisa controlar quem tem acesso ao conteúdo, ou seja, só pode ver as postagens se for um usuário do site. Se as necessidades forem outras, este usuário não é indicado.

 

Esperamos que esse post tenha esclarecido suas dúvidas sobre permissões do WordPress e suas utilidades!

Para mais dicas e tutoriais, acesse nossa página de conteúdos.

 

Este post vai te ensinar a criar atributos e tags no WooCommerce. Definir atributos é extremamente necessário para sua loja virtual, pois cada produto tem suas peculiaridades e essa é a melhor forma de explicitá-las. Já as tags, são uma grande ferramenta na hora de organizar melhor as suas postagens, você pode usá-las como subcategorias, facilitando para o usuário que procura, por exemplo, um material específico.

Atributos

Esta opção serve para adicionar variações de um mesmo produto. Uma camiseta básica, pode ser preta ou branca, e além disso, pode ser dos tamanhos P, M e G. Como adicionar essas variações específicas na sua loja você pode encontrar aqui.

No seu painel WordPress > Produtos > Atributos

Nome: Como vai se chamar o atributo. Ex: Tamanho

Slug: É uma versão simplificada da url, se desejar que seja igual ao nome, deixe vazio.

Imagem do painel de criação de atributos.

No canto direito, em “Configurar termos” é onde você pode adicionar as opções:

Nome: Como vai se chamar a opção. Ex: P

Slug: É uma versão simplificada da url, se desejar que seja igual ao nome, deixe vazio.

Adicionar opções

 

Tags

Esta opção serve para facilitar a procura e a organização de itens na sua página, como dito anteriormente, as tags podem ser usadas como subcategorias. É ideal quando se tem uma quantidade grande de produtos, pois vai auxiliar na hora da navegação pelos itens do site, evitando que o usuário desista de comprar por não conseguir encontrar o que precisa.

No seu painel WordPress > Produtos > Tags

Nome: Como vai se chamar sua tag. Ex: Jeans

Slug: É uma versão simplificada da url, se desejar que seja igual ao nome, deixe vazio.

Campo de adicionar tag

 

Seguindo todos estes passos, você estará pronto para criar todos os atributos e tags necessários na sua loja virtual do WooCommerce. Não se esqueça de salvar tudo depois de cada alteração.

Quando se inicia no mundo do E-commerce é normal que várias dúvidas apareçam. Este post vai te ajudar a adicionar novos produtos no WooCommerce de maneira simples, rápida e completa para você fazer o melhor uso possível dessa ferramenta. Antes de começarmos o passo a passo é importante definir dois tipos de produto:

Produto Simples – É um produto único, que não tem variedade de cor, tamanho e demais atributos.

Produto Variável – Pode possuir variações de tamanho, cor e demais atributos.

 

Simples:

Primeiramente você precisa acessar seu painel do WordPress > Produtos > Adicionar novo. Depois de adicionar o nome será o momento de fazer as configurações principais:

 

Parte "Geral" do novo produto.

 

Como o produto é único, para adicionar detalhes como cor, tecido e outros, o campo “breve descrição” é o correto a ser preenchido. A informação aparecerá ao lado da imagem do produto.

Espaço para adicionar descrição do produto

Além dessas ferramentas, você também pode adicionar a imagem principal e definir tags e categorias. Todas essas opções estão disponíveis no canto direito do painel. Então, o seu produto está pronto para ser publicado!

 

Variável: 

Apesar de representarem coisas diferentes, o processo para a criação do produto variável é bem semelhante ao explicado anteriormente. As partes de inventário, entrega e produtos relacionados serão configuradas da mesma forma, já a aba “geral” não precisa ser alterada.

Para adicionar atributos (que devem ser criados antes, conforme tutorial), você pode selecionar alguns deles ou todos. É importante que você não esqueça de habilitar para variações.

Opções do atributo Exemplos de atributos adicionados.

Feito isso, estará disponível a opção variações. Você pode optar por adicionar uma variação manualmente (Ex: Camiseta branca P) ou permitir que ele gere todas as variações possíveis (Imagem 1). Mesmo gerando todas, na hora de colocar preço e estoque, deverá ser feito um a um. (Imagem 2).

Imagem exemplo de como configurar preço, estoque e medidas nos produtos variáveis.

Todas as variações do produto adicionadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os demais passos como imagem, tags e categorias seguem o padrão do primeiro exemplo.

Agora você já está pronto para adicionar novos produtos no WooCommerce, divirta-se!